Buscar

Warm Data: experiência pessoais sobre mudanças globais


O workshop de Connie Thoms e Lulu Vierkötter iniciou uma conversa aberta a partir do conceito de Warm Data, para compartilhar as diferentes experiências de jovens ao redor do mundo, acerca de diferentes espectros sociais.


O termo Warm Data foi usado primeiramente por Nora Bateson em 2012. As oradoras o exemplificam como um código genético, que diz respeito às relações relacionais entre contextos. O foco é em uma informação específica que faz parte de um sistema transcontextual, para assim poder compreender problemas complexos.


Navegar entre as mudanças extremas na vida contemporânea é complicado. Então para nós, como jovens, o Warm Data é uma forma de compreensão para o presente e futuros incertos, e para encarar o problema do aquecimento global.