Buscar

Você entende as funcionalidades das ondas de rádio?

Atualizado: 7 de out. de 2021



Para começar, precisa-se entender o que é uma onda de rádio. Elas são um tipo de onda eletromagnética (aquelas capazes de se propagar no vácuo e formadas pela combinação dos campos elétricos e magnético. Graças a esse tipo de onda, se pode ver TV, acessar a internet, ouvir música...), cujo as frequências (número de “ondas” por segundo). Sua existência foi prevista matematicamente por James C. Maxwell (1831-1879), mas a detecção ocorreu apenas em 1887, graças ao físico Heinrich Hertz (1857-1894). Esses experimentos ajudaram a comprovar a natureza ondulatória da radiação eletromagnética.



Usos das ondas de rádio


  • Radioastronomia: Detecção de objetos astronômicos.

  • Radar: Um sistema que usa essas ondas eletromagnéticas para medir distâncias, altitudes, direções e velocidades de objetos estáticos ou móveis como aeronaves, barcos, veículos motorizados, formações meteorológicas e o próprio terreno.

  • Ressonância magnética nuclear: Assim como na tomografia computadorizada, na ressonância magnética (RM) ou ressonância magnética nuclear (RMN) são criadas imagens transversais dos órgãos internos. Entretanto, a RM utiliza poderosos ímãs em vez de radiação para formar as imagens. Uma ressonância magnética pode ter cortes transversais que podem ser vistos de vários ângulos, por exemplo, de frente, de lado ou de cima. A ressonância magnética cria imagens de partes moles do corpo, que são, difíceis de serem observadas utilizando outros exames de imagem. A RM é útil para diagnosticar e localizar alguns tipos de câncer e diferenciar se é benigno ou maligno. Uma ressonância magnética com contraste é a melhor maneira de visualizar os tumores cerebrais. A ressonância magnética também pode ser usada para procurar sinais de disseminação da doença. Imagens de ressonância magnética também ajudam no planejamento do tratamento, seja cirúrgico ou radioterápico. (texto retirado do site: