Buscar

Savage× Fenty é a nova Victoria Secrets?



O ano de 2019 foi cheio de azar para a marca Victoria Secrets, depois de quase 2 décadas transmitindo os desfiles, a marca anuncia que nãoirá fazer o desfile show naquele ano. A marca já vinha sendo muito criticada pela falta de diversidade nas passarelas, já que as modelos que sempre aparecem nos desfiles tem um corpo padrão e considerado inatingível e quando a marca se deu conta que estava meio atrasada e precisava realizar algo, contratou uma modelo "Plus Size" Ashley Graham, uma modelo brasileira transexual, Valentina Sampaio e a "Curvy" Sofia Jamora, mas essa "diversidade" foi bem seletiva e as próprias ainda não desfilaram, essas contratações foram feitas para que a marca conseguisse recuperar o fracasso que estava acontecendo nas vendas que refletiu na queda de 41% dos produtos.


Um dos diretores de marketing, EdRazek, anunciou publicamente "Não, não, acho que não devemos (ter modelos plus size e transexuais). Bem, porque não? Porque o show é uma fantasia. É um especial de entretenimento de 42 minutos. ” O mesmo saiu da empresa após a contratação da modelo Valentina Sampaio.


A marca pediu desculpas publicamente e disse que o desfile de 2019 foi cancelado pois decidiram repensar no tradicional Victoria Secrets Fashion Show, a audiência que antes quase batia os 10 milhões de visualizações no desfile, no ano de 2018 nem chegou aos 4 milhões de expectadores.


A Savage× Fenty, da Rihanna vinha fazendo muito sucesso com a diversidade que vinha colocando nas passarelas, ela não perdeu tempo de colocar sua marca de lingeries para o público ver e foi prontamente aclamada pelos fãs, críticos e expectadores. O desfile foi um manifesto pela emancipação e inclusão do corpo, a cantora declarou "Há muitas mulheres lá fora que estão se sentindo no escuro, invisíveis. Aqui é onde elas se sentem seguras, bem aqui na Savage". A marca está explodindo no mercado a qual marcou uma mudança significativa no setor, visto que a empresa está prestes a se tornar líder no mercado global de lingerie, que deverá atingir US$ 325 bilhões em 2025.


A diversidade e a inclusão no universo das lingeries continuarão com grande importância, pois os consumidores exigem uma reavaliação das imagens tradicionalmente sexualizadas na indústria. E a esperança não está totalmente perdida para a Victoria Secrets, pois ela ainda é a maior empresa de lingerie dos Estados Unidos, porem a voz do consumidor está cada vez mais ativa e se marca não se agilizar pode acabar tento mais problemas.