Buscar

Oscar Niemeyer: papo reto com linhas tortas

Atualizado: 5 de abr. de 2021


Oscar Niemeyer. | Foto: Reprodução.


Quando falamos sobre Oscar Ribeiro de Almeida Niemeyer Soares Filho, estamos falando de um ícone não só da arquitetura como também do nosso país, e reparo que muita gente não entende a dimensão que esse cara tem para o legado da nossa cultura. Deveríamos valorizar mais os “Niemeyeres” geniais que temos ao invés de reparar nos “Neymares” que na verdade são vergonha para o no nosso povo. Ouve meu apelo. Infelizmente não conseguirei mencionar todas as mais de 600 obras produzidas pelo nosso amigo, por uma simples questão de caracteres, ficarei devendo essa.


Nascido em 1907 no bairro das Laranjeiras, “bom de bola e tricolor de coração”, chegou a jogar nas categorias de base do Fluminense como meio-campista quando tinha 11 anos de idade. Passou a juventude como um típico jovem carioca, boêmio e extremamente despreocupado com seu rumo no “planeta água”. Enchia a boca desde pequeno para falar sobre seus traços, e foram esses traços que o levaram a estudar na Escola Nacional de Belas Artes.


Em 1934, obteve seu diploma de engenheiro arquiteto (na época não havia distinção entre esses dois cursos). Enquanto seus amigos arranjavam empregos em escritórios menores, Oscar decidiu arriscar e foi trabalhar sem receber salário no escritório de Lúcio Costa, para ganhar experiência com um verdadeiro craque da arquitetura. No ano de 1937, projetou a sede da instituição Obra do Berço, que foi o primeiro projeto de sua autoria, depois de se formar.


Visit.rio/ Divulgação