Buscar

Oportunidades Internacionais para Menores de 18 Anos

A possibilidade de realizar um intercâmbio é aberta a todos, em qualquer faixa etária, que saibam se manter informados e tenham força de vontade para persegui-las. Por isso, não há necessidade de abandonar, ou adiar para um futuro distante, aquele sonho de sair do país apenas porque você ainda é repreendido por assistir a filmes com restrição de idade.


O objetivo deste artigo é abordar sobre os 3 principais tipos de intercâmbio nos quais alguém com menos de 18 anos pode se engajar. São eles:


High School

É provável que a ideia de cursar o ensino médio no exterior, principalmente na América do Norte, seja a mais difundida entre os jovens no que diz respeito ao campo de oportunidades internacionais. Porém, ao contrário do que os filmes mostram, você dificilmente vai presenciar estudantes cantando e executando coreografias complicadas durante os intervalos (a menos que seja uma escola focada em artes e música, onde isso pode acontecer com frequência).


Mas, de qualquer forma, os programas de ensino médio realmente merecem a boa reputação que têm, pois, além de representarem uma chance única e enriquecedora de imersão em outra cultura, que pode acarretar muitos benefícios para o desenvolvimento de um jovem, são capazes de proporcionar muita diversão.


E, mesmo que os colégios de ensino médio, em muitos países, requerem mensalidades altas por parte de estudantes internacionais, é possível se matricular em uma escola dessas sem ter que vender sua alma no processo. Dependendo da instituição, você pode conseguir uma bolsa de estudos de até 100%, sendo que, para isso, basta preencher um formulário para competir a bolsas por mérito, e enviar, junto com sua inscrição, no site da escola. Também há plataformas específicas para essas aplicações, como o SAO (Standard Application Online) e o Gateway to Prep Application.


É claro que, se você tiver condições financeiras, pode optar por realizar um intercâmbio por agência, o que vai te poupar muito esforço. No entanto, o caminho mais longo também é frutífero, e isso prova que dinheiro (ou a falta dele, no caso) não deve ser visto como um motivo para desistir das suas metas.