Buscar

O futuro das federais no país



Durante a primeira semana de maio, a reitora da Universidade Federal do Rio De Janeiro, trouxe a notícia de que com o atual orçamento referente a Universidade, ela não conseguirá manter suas portas abertas e deve fechar até o segundo semestre de 2021. A verdade é que os resultados estão vindo agora, mas a crise dentro das Universidades Federais vem recorrentes de anos, e de diversos bloqueios de verbas que seriam direcionados para o mantimento das mesmas.

Uma tabela realizada pela Andifes, mostrou que 2021 foi o ano com menor investimento dentro das instituições em 10 anos. O ano com maior orçamento direcionado a essas, foi durante o ano de 2015, quando dentro desse período, foram direcionados um total de 7,8 bilhões de reais. Já nos dias atuais, o valor referente é de 4,5 bilhões de reais. Segundo uma reportagem feita pelo “O GLOBO”, as instituições hoje, recebem o mesmo valor que recebiam no ano de 2004, porém, naquele ano elas eram formadas por um total de 574 mil alunos, e hoje, totalizam 1,3 milhão de estudantes, o que seria o mesmo valor para mais que o dobro de pessoas.

Além da UFRJ, outras Universidades como Unifesp, UnB, UFMG, também apresentam situação de emergência e disseram que assim como a Universidade do Rio, não conseguirão se manter abertas com os valores direcionados a elas.

A verdade é que os resultados e consequências estão vindo agora, mas as crises dentro das universidades são comentadas há anos e vem pedindo há muito tempo por ajuda. Em maio do ano de 2019, estudantes foram as ruas protestarem contra o corte de verbas que ocorria naquele ano. Nesse ano, o corte foi de 30% para todas as Federais do país, o que trouxe indignação a milhares de estudantes e professores que foram as ruas protestar.

É desesperançoso pensar que as futuras gerações podem não ter mais acesso a essas instituições e que talvez elas possam deixar de existir em um futuro não tão distante. Nosso país nunca se mostrou preocupado