Buscar

Neoliberalismo: O Sistema Imaginário


Bom, um assunto extremamente hodierno sem dúvidas é o Neoliberalismo, não só atualmente como desde os anos 90, esse conceito tem gerado um gigantesco debate na esfera econômica e por consequência na esfera política. Nesse texto, buscaremos entender o que é Neoliberalismo.


A partir dos anos 70 e 80, com o evidente fracasso do sistema de welfare state e com a crise nas “economias” socialistas, o mundo se voltou para o mercado (não tanto quanto se diz, mas inquestionavelmente se voltou para ele), retomando conceitos de Locke, Tocqueville e Adam Smith, assim ressuscitando o até então abandonado caminho do laissez-faire[1]. Essa onda de mercado, foi nomeada como: “Neoliberalismo”, que trazia novamente ao palco as ideias liberais do século XVII, porém, em um novo mundo, mas vamos por partes. Primeiramente, devemos nos questionar o que de “neo” há no liberalismo do século XX, e a resposta pode ser direta... Nada. O nome “Neoliberalismo”, é em verdade vazio, um saco de pancadas imaginário, um mero objeto criado para ser o canalizador do ódio coletivista; podemos ver essa falta de sentido de ser, simplesmente analisando suas características, que agregam: Propriedade privada, vida, liberdade, privatizações e individualismo, coisas que estão presentes no Liberalismo clássico, não existe sequer um novo conceito. Não obstante, alguns insistem em dizer que o Neoliberalismo, diferente do clássico, tolera a intervenção estatal na economia quando necessário; seria um bom argumento se ele fizesse algum sentido... algo que admite intervenções do estado na economia, jamais poderá ser chamado de liberalismo, mesmo que haja um prefixo que o acompanhe, isso seria uma contradição gigantesca e quebraria os alicerces que matem em pé a doutrina liberal.


Para sermos mais objetivos, vamos usar um exemplo empírico, de todos os autores citados como neoliberais, nenhum deles se diz um neoliberal, todos se consideram liberais. Seja Ludwig von Mises (1881/1973)[2], F.A Hayek (1899/1992)[3], Milton Friedman (1912/2006)[4] ou Thomas Sowell[5] absolutamente nenhum liberal dos séculos XX e XXI escreveu sobre neoliberalismo como doutrina, essa tarefa foi ministrada única e exclusivamente por sociais-democratas, socialistas, comunistas e afins.


O Neoliberalismo é uma crença imaginária que não tem autores, não tem indícios, não tem inovações e nada tem a ver com as ideias a priori desenvolvidas por Locke.

[1] Laissez-faire: Livre mercado [2] Ludwig von Mises; Economista austríaco cuja a obra mais notável foi o livro: “Ação Humana”. [3] F.A Hayek; Economista e filósofo austríaco naturalizado inglês cuja a principal obra foi o livro: “O Caminho da servidão”. [4] Milton Friedman; Economista norte-americano que escreveu o livro base dos anos 90: “Capitalismo e liberdade”.