Buscar

Efeito Peltzman

A vacina contra a Covid-19 é um risco. O comportamento dos brasileiros diante da pandemia nem de longe é um dos melhores, com muita displicência e falta de respeito aos protocolos estabelecidos pela OMS (Organização Mundial da Saúde). Diante apenas do anúncio da produção de vacinas e início das vacinações, é notório um relaxamento quanto às medidas necessárias para evitar a proliferação do Novo Coronavírus, chamado de “Efeito Peltzman”. Esse é o nome para a sensação de segurança dada por qualquer motivo, como no caso da vacinação. O nome dado para o efeito é uma homenagem ao professor de Economia da Universidade de Chicago, Sam Peltzman. O paralelo é em relação ao postulado de Peltzman sobre a obrigatoriedade do uso dos cintos de segurança em automóveis, no qual cita que pessoas são mais propensas a correrem riscos nas ruas por usarem o cinto que dá a ela uma falsa garantia de sobrevivência caso qualquer imprevisto aconteça.


Foto - Divulgação


Em um período no qual o País atinge o maior número de óbitos em 24hrs (4.249 no dia 8 de abril de 2021), os cuidados devem ser redobrados, porém não é o que costumamos ver nas ruas brasileiras. Além disso, serviços não essenciais estão voltando a funcionar, mesmo sem qualquer melhora nos números negativos causados pelo vírus. A vacina que necessita de duas doses e não imuniza imediatamente dá um sentimento de menor risco para as pessoas, sendo compensado com o relaxamento e consequentemente um aumento do comportamento de risco.

Ademais, a vacina permite que a população ainda seja contaminada, porém diminui drasticamente a chance de consequências graves e hospitalização; por isso, mesmo imunizados, temos que continuar nos preocupando e seguindo os protocolos de saúde para que, além de não pegarmos o Novo Coronavírus, não passemos para quem está próximo e que pode não estar vacinado. São facilmente observados, pessoas adultas, jovens e crianças desrespeitando recomendações e decretos, mesmo estando muito longe de serem vacinados, ou seja, tiram proveito do “avanço” das vacinas.


Em vista disso, o “Efeito Peltzman” é uma verdade muito preocupante. As pessoas devem permanecer em casa, se possível, e seguindo todas as regras sem qualquer exceção ou brecha, como é o caso da juíza de Minas Gerais, Ludmilla Lins Grillo, que ensinou em seu Twitter como descumpri-las pedindo sorvete em algum estabelecimento que venda e abaixando a máscara fingindo estar consumindo-o - um desserviço.