Buscar

Demonização da Política

Por que evitamos falar de política e perdemos a esperança em políticos?

Desde cedo aprendemos como se portar em sociedade e com certeza a socialização faz parte deste processo. Dentre os muitos lugares que vivenciamos no decorrer de nossa criação e crescimento, a escola é um dos principais. Lá, aprendemos muito, convivendo com diferentes pessoas de forma civilizada. Desde então, agimos sempre politicamente, ao tomar decisões pessoais ou em conjunto. Como, por exemplo, participando de indicações, escolha de representantes ou de abaixo-assinados, como ocorrem na escola em que estudei.


A política está em todos os lugares imagináveis, sendo impossível evitá-la. Depois de um longo período de ditadura, seguido por anos de democratização e governos liberais, durante 13 anos o Brasil esteve sob o governo de Lula e Dilma Rousseff, ambos do Partido dos Trabalhadores (PT) e, no final deste período se intensificou o que podemos chamar de demonização da política. Demonstrado um domínio da esquerda na cadeira presidencial, o país canarinho se expôs divido e, a partir de então, ser de esquerda ou progressista se tornou sinônimo de “petista”. Após um longo governo, com viés socialista nas políticas sociais, mas liberal na economia, embora com maior controle do Estado, houve uma decepção em massa e o governo Dilma que, em seu primeiro mandato teve recorde de aprovação, em seu segundo mandato alcançou o menor índice de aprovação da história de um presidente exercendo seu cargo, 9%, após pesquisa do Ibope em 2015. O governo teve seu fim após votação pelo Congresso Nacional de um processo de impeachment, justificado por crime de responsabilidade pela realização de créditos suplementares sem autorização legislativa.


Atual Presidente, Jair Bolsonaro, durante processo de impeachment no qual votou a favor.