Buscar

Crianças serão sempre crianças, mas nunca serão soldados



Muito se ouve da África, miséria, fome, desemprego e guerras, são temas muitas vezes presentes ao se pensar no continente. Entretanto, um fator agravante e pouco mencionado é: Onde se encontram as crianças no meio deste cenário?

Milhares de meninos e meninas situam-se na condição de "Crianças-soldado’’, sendo este, o termo usado para identificar os jovens que são recrutados por grupos de milícias terroristas. Acabando por exercer diversos ‘’ papéis’’, são usados como combatentes, informantes, saqueadores, escravos domésticos e até mesmo escravos sexuais. O ''recrutamento’’ ocorre, na maior parte dos casos, na RCA (República Centro-Africana), país localizado ao centro do continente.

Com as guerras constantes no dia a dia, a instabilidade se instaura e a crise humanitária acompanha-a, mostrando um ambiente de condições de vida de precária. Os menores, acabam sendo vítimas de fome, escassez de medicamentos, falta de ambientes escolares e moradias seguras, e por fim, falta de segurança sobre suas vidas, tornando-os portanto, vulneráveis e alvos aos grupos terroristas.

Existem duas maneiras de se inserir nestes grupos: A decisão arbitrária ou, sequestros. O primeiro caso, reside na instabilidade do ambiente, como citado em momento anterior, na falta de um lugar seguro e propício para o desenvolvimento dessas crianças, elas acabam por procurar os grupos, com intuito de sobrevivência. Já o segundo caso, sendo definitivamente o mais preocupante, ocorre diretamente por grupos extremistas, procurando alvos jovens e como sempre, vulneráveis.