Buscar

Construindo a primeira rede de escolas públicas sustentáveis

Em uma palestra do evento Earth Action Hub, Martín Espósito apresenta a primeira rede de escolas públicas sustentáveis:

Martín Espósito é o diretor de uma organização uruguaia sem fins lucrativos, Tagma, voltada para desenvolvimento de projetos inovadores focados na educação e sustentabilidade. Nesse sábado (22), durante o evento da Earth Action Hub, Martín apresentou um dos grandes projetos da Tagma, a construção das primeiras escolas públicas sustentáveis não apenas da América Latina como do mundo.


O projeto foi inspirado nas criações do arquiteto estadunidense Mike Reynolds, que desenvolveu habitações e outras construções sustentáveis nas áreas desérticas dos Estados Unidos. Após 5 anos de espera, em 2016, a Tagma encontrou recursos e capacidade para a construção da primeira escola pública sustentável do mundo no Uruguai, onde encontra-se a sede da organização. A escola foi construída em apenas 45 dias, contou com a ajuda do arquiteto Mike Reynolds e sua construção utilizou cerca de 20 toneladas de materiais que foram descartados, como pneus. O resultado foi uma escola completamente auto suficiente, com áreas em que os estudantes possam trabalhar com plantas e animais e acesso a luz natural.


O projeto também foi aplicado em outros países da América Latina: Argentina, em 2016, e Chile 2020. Seu propósito vai além do resultado, ele inicia-se no processo de construção. Além da própria equipe da Tagma e profissionais especializados em construção civil, a obra conta com a colaboração da comunidade local e voluntários, inclusive, de outros países, desse modo, buscando uma rede de colaboração amigável e educativa, através da partilha de experiências.