Buscar

Como seria se toda a Ásia Central virasse um país?


Mapa da Ásia Central


Bem, hoje irei falar sobre a Ásia Central, uma região muito pouco conhecida, mas cheia de conflitos internos, mistérios e paisagens maravilhosas que devem ser visitadas. Neste momento, irei lhes explicar se é possível reunir essa região e fazer ela virar apenas um país. A resposta curta é não, mas irei lhes detalhar o motivo.


Ásia Central é composta por seis países, sendo eles: O Afeganistão, O Cazaquistão, O Quirguistão, O Tajiquistão, O Turcomenistão e O Uzbequistão. A unificação desses países seria praticamente impossível por conta de vários motivos, os quais iriam desde geopolíticos, religiosos até conflitos étnicos (sendo os principais a guerra civil no Afeganistão, a ditadura Turcomena, o conflito de fronteiras entre o Tajiquistão e o Quirguistão, a crise de imigração de uigures, o Talibã, a Al Qaeda e os milhões de residentes russos e ucranianos que chegaram na região na época do império russo e da União Soviética).


No entanto, poderíamos imaginar como seria o país. A maioria dele sendo coberta por desertos, planaltos e tundras siberianas. Também teria uma vasta diversidade étnica e cultural, possuindo grupos étnicos mongóis, altaicos, turcos, eslavos, iranianos e do leste asiático. Os principais grupos étnicos seriam: os Pashtós, os Tajiques, os Uzbeques, os Cazaques, os Russos e os Ucranianos.


As religiões com o maior número de seguidores seriam o Islamismo (cujo é majoritária em todos os países da Ásia Central) e o Cristianismo (principalmente por conta das minorias russas, ucranianas, alemãs, coreanas e polacas).


O país em si representaria um dos maiores em área, não só na Ásia como no mundo.


As línguas oficiais seriam: o Inglês, o Russo, o Persa, o Pashtó, o Árabe (por conta do alcorão), o Tajique e o Uzbeque. Outras línguas ganhariam o status de língua minoritária ou regional.