Buscar

Castelos & Ruínas.


Abebe Bikila Costa Santos, vulgo BK, rapper, escritor, compositor, carioca de 31 anos, membro do coletivo Nectar Gang e autor de "Castelos & Ruínas" de 2016 (C&R), obra-prima do rap nacional.


Muito antes de se lançar na cena, começou a escrever ainda na adolescência, enquanto trabalhava como videomaker e estudava cinema. Foi só em 2013 que juntamente ao seu coletivo Nectar Gang, formado por amigos da mesma rua, lançaram a primeira música “Nectatenu” e em 2015 a mixtape “Seguimos na sombra”. Já em 2016, BK realizou seu primeiro projeto solo “Castelos & Ruínas”, com poucas participações, visando a mais espaço para suas opiniões e maluquices, como ele mesmo afirma.


Incontáveis são as vezes que ouvi esse álbum, todas me permitiram uma nova experiência, sem soar repetitivo. Ainda assim, é difícil falar sobre, afinal, grande parte da temática do disco está na sua narrativa polarizada, subjetiva, cheia de mistérios e referências, da capa até a última faixa. Tudo isso sem perder a essência do rap de retratar realidades e ampliar sua visão de forma coerente e tocante. Mesmo sendo um projeto implícito e muitas vezes aberto a interpretação, é possível se identificar nessa narrativa tão bem construída e inconfundível do BK, moldando um álbum tão diverso e ao mesmo tempo tão conectado.


Castelos & Ruínas - BK (2016) Travessia – Milton Nascimento (1967)


Segundo o próprio BK, sua intenção em cada faixa foi traduzir o conceito: castelo e ruína, algo como alto e baixo, uma antítese, porém de formas diferentes em contextos diferentes, explorando essa dualidade, atribuindo peso a conceitos, a fim de achar um equilíbrio como yin yang. Um trabalho muito bem pensado e planejado, que apesar de abstrato e com um contraste nítido, não foge da ideia, somado as produções impecáveis dos beatmakers, JXNV$ e El Lif Beatz, os quais produziram cada detalhe pensando no estilo do BK', com baterias sempre marcantes que combinam muito bem com a estética do projeto de uma atmosfera polarizada.