Buscar

Apegue-se

Às vezes, não precisamos nos desfazer de algumas coisas.




Abro o guarda-roupa e encontro várias roupas antigas, que não fazem muito meu estilo. Como não me apetece, deixo-as de lado e vou direto à internet comprar roupas novas. Vou à cozinha e me deparo com a mesma coisa: com o meu antigo liquidificador não consigo fazer a receita que tanto queria, para isso preciso de algo um pouco mais potente para ter o resultado ideal. De novo, à Internet procurando mais alguma coisa que possa comprar. Na sala, o equipamento de som antiquado do meu avô, nem tento resgatar, esse definitivamente não tem salvação. Mas como queria uma JBL para poder escutar os novos hits do Spotify! Falando de música, só as atuais me servem. Músicas anteriores à 2012 são muito saturadas.


Ainda hoje tenho que visitar meu primo, o Rodolfo. Faz frio. Não acho um casaco adequado, só alguns antigos do meu irmão. Prefiro congelar. Chego na casa do Rodolfo, que está casualmente vestido com um roupão. Na casa dele, tudo é meio aproveitado, e ele curte mudar o Layout quase que diariamente. Para se ter uma noção, o box do banheiro dele só se sustenta por meio de um pegador de macarrão. Sim, muito esquisito. Sempre aproveita os antigos discos de vinil de nosso avô. E mais, ele consegue até mesmo usar o tocador de Vinil no seu computador, como se fosse uma caixa de som para as músicas mais novas. Rodolfo sempre curtiu isso, aproveita ao máximo o que tem em casa, sempre atribuindo novos valores às coisas. Isso ele chama de provisório permanente. Mesmo possuindo equipamentos eletrônicos mais recentes, ele dá um jeito de reutilizar aquilo já antigo, dificilmente desapegando. Não consigo mesmo entender como ele consegue viver assim. Como jogar videogame sem o i9-11900k? Como escutar música sem a nova JBL? Como ele conecta áudio sem bluetooth?