Buscar

Análise dos filmes Menino 23 e A Última Abolição



Partindo de um panorama temporal, pode-se analisar, em primeiro plano, o documentário de Alice Gomez. Nesse sentido, observa-se que em sua construção, a diretora trabalha com um condicionamento segmental atrelado a linha do tempo, o que nos ajuda a compreender melhor o processo abolicionista destacado no filme. A obra vem tratando desde anterior a 13 de maio de 1808 até posterior, trazendo consigo uma gama de profissionais e acadêmicos especializados para contar esta história.


O contexto histórico demonstrado em todo documentário enfatiza que a libertação preta foi mais uma discussão política do que social, a qual mesmo após seu fim se manteve nas estruturas da sociedade brasileira como descrito no Código Penal de 1890, citado na obra. Diante disso, sua disponibilização é de extrema importância para uma população continuamente racista, ainda mais por o mesmo ter um aspecto quase que decolonial, reiterando que o curso abolicionista não era alegoricamente louvado pela imagem da Princesa Isabel.


Já em “A Última Abolição'' é estabelecida uma conexão direta ao abolicionismo com personagens pretos: André Rebouças, Rui Barbosa, Joaquim Nabuco e José do Patrocínio. A partir disso, percebemos que a ligação dos homens pr