Buscar

A problemática da masculinidade hegemônica:



Sempre estivemos em uma sociedade onde certos estereótipos marcam características como supostas verdades. De acordo com a Wikipédia, estereótipos seriam: “o conceito ou imagem preconcebida, padronizada e generalizada estabelecida pelo senso comum, sem conhecimento profundo, sobre algo ou alguém. Estereótipo é usado principalmente para definir e limitar pessoas quanto à aparência, naturalidade e comportamento.” Hodiernamente há uma maior preocupação e foco para que a desconstrução de tipos distintos de estereótipos seja abolida de uma vez por todas, ou simplesmente desconstruídos. Devemos ter em mente que há inúmeros estereótipos, como por exemplo de masculinidade e feminilidade, isso seria, como vivemos em uma sociedade onde o machismo e o sexismo está enraizado, e a suposta aparência de feminilidade deverá ser de mulheres mais sentimentais, frágeis e inseguras, enquanto a dos homens seria não revelar seus sentimentos, sempre ser “macho alfa”, briguento, musculoso etc.


Tendo em vista diversos problemas facilmente notórios que, de modo geral, a sociedade faz parecer “normal” e impõe certos hábitos neutralizados, o objetivo dessa matéria é trazer a perspectiva da masculinidade hegemônica. Segundo os estudos desenvolvidos sobre gênero a masculinidade hegemônica provém da teoria da ordem de Raewyn Connel, onde a ideia principal seria mediante à hierarquia social, pensamento formado sobre o homem e gênero; sendo assim, primeiramente, faz-se necessário afirmar que, de acordo com o artigo de Raewyn Connel “o conceito de masculinidade é falho porque ele essencializa o caráter dos homens ou impõe uma unidade falsa a uma realidade fluida e contraditória.”