Buscar

A novela brasileira que parou a União Soviética



A União Soviética (URSS) foi uma nação regida por um regime político socialista que, por grande parte de sua existência, ficou marcado por características autoritárias, ações repressivas e de isolamento civil com o restante da comunidade internacional. Foi apenas com o governo de Mikhail Gorbachev que se iniciou um processo de significativa flexibilização no país com a criação de políticas internas como a Glasnost — promoção da liberdade de expressão, imprensa e entretenimento — e Perestroika — reestruturação econômica e legalização do multipartidarismo. As consequências dessas políticas internas permitiram aos soviéticos a primeira interação com entretenimento livre de qualquer censura; surpreendentemente, com a novela brasileira “Escrava Isaura”.

“Escrava Isaura'' foi uma telenovela nacional baseada no romance de mesmo nome, do escritor, também brasileiro, Bernardo Guimarães, de 1875. A produção estreou nas telas do país em 1976, fez grande sucesso no Brasil, ganhou destaque por sua repercussão internacional e, posteriormente, foi elaborado um remake da versão original.

Na União Soviética a chegada da novela às suas telas foi mais que apenas a estreia de um novo seriado. “Escrava Isaura'' passou a ser reproduzida nessa grande nação 12 anos após sua estréia no Brasil, quando pela primeira vez, os soviéticos assistiram sem qualquer censura a um programa na televisão, não estatal.

O seriado foi extremamente bem recebido na nação euroasiática.O fato de ser uma novidade histórica para o país e também pelo intrigante enredo da vida de Isaura, diferente de qualquer experiência que poderia ser vivida na URSS, conquistou e influenciou fortemente a vida dos Soviéticos. Quando o dia do último cap