Buscar

A importância da língua brasileira de sinais

Libras, também conhecida como língua brasileira de sinais, teve sua criação durante o século XVI. Essa introdução da língua de sinais no Brasil, se deu durante a época de luta pela educação dos surdos na Europa, onde o nome em destaque foi o de Eduard Huet. O mesmo veio ao Brasil no ano de 1857 e foi o responsável pela fundação da primeira escola para surdos do país. Em funcionamento até hoje, a escola leva o nome de INES (Instituto Nacional de Educação dos Surdos).


Durante a década de 80, deu-se início a uma grande reprimenda à comunidade surda, pois durante um congresso em Milão, a língua de sinais foi banida de todo o Mundo, defendendo a ideia que a melhor forma de comunicação entre a comunidade surda com pessoas ouvintes, seria através da oralização. Apenas depois de anos seguindo uma grande luta pela legitimidade da língua, que ela passou a ser utilizada livremente. De forma resumida, a introdução da libras, foi feita através de muita luta e censura por parte dos estados.


Ainda hoje a obrigatoriedade da língua em escolas, não foi efetuada. No Brasil, temos inglês como matéria obrigatória a partir do sexto ano do ensino fundamental, que mesmo tendo suma importância para o futuro do estudante, não é uma língua oficial brasileira, diferente da libras, que foi incluída como língua oficial no ano de 2002. É muito importante que medidas sejam colocadas em prática para que tenhamos o reconhecimento da mesma, para algo que futuramente traga principalmente a inclusão que vem sendo refutada durante anos.


A não colocação de libras como matéria obrigatória, dificulta também a entrada de pessoas surdas em escolas regulares, onde a forma de aprendizado para os mesmos, são feitas geralmente através da oralização. A implantação da língua de sinais nessas escolas, é extremamente necessária para a inclusão da pessoa não ouvinte nesses espaços, o ensino é para todos, e deve ser efetuado da forma correta. Temos na constituição, que Libras é uma língua oficial e devemos começar a ensiná-la como uma.