Buscar

A escola austríaca de economia e seu legado

Atualizado: 20 de dez. de 2020



Ao ler a minha descrição neste site você se depara com a seguinte afirmação: “adepto da escola austríaca de economia”, e o que exatamente é esta escola? Quais são suas teorias e o que seus pensadores defendem? Acompanhe a seguir um breve resumo:

A escola austríaca é uma escola de literatura econômica que enfatiza o poder da organização espontânea do mecanismo de preços. Ela se iniciou com a obra “Princípios da economia política” de Carl Menger, o qual desenvolveu a famosa teoria da utilidade marginal (quanto maior o número de unidades de um bem que um indivíduo possui, menor será o valor que ele dará para cada unidade adicional). Logos após Menger, seu aluno se destacou, o Eugen von Böhm-Bawerk. Foi ele quem desenvolveu toda a teoria do capital e refutou a teoria Marxista, como a da exploração e da mais-valia, seguido de Bawerk, temos outro e para mim o mais importante economista austríaco, Ludwig Von Mises.

E por que eu considero Mises tão importante? Suas contribuições à teoria econômica incluem elucidações importantes sobre a teoria quantitativa de moeda, a teoria dos ciclos econômicos, a integração da teoria monetária à teoria econômica geral, e uma demonstração de que o socialismo necessariamente é insustentável, pois é incapaz de resolver o problema do cálculo econômico. Mises foi o primeiro estudioso a reconhecer que a economia faz parte de uma ciência maior dentro da ação humana, uma ciência que Mises chamou de "praxeologia".

Finalmente chegamos na base de toda a escola austríaca, e onde explico o motivo de ser um adepto desta magnífica linha de pensamento. Esta base é a praxeologia. Praxeologia que vem do grego praxis (ação, prática) é uma metodologia que tenta explicar a estrutura lógica da ação humana. Para a praxeologia a Ação humana é todo comportamento propositado, aquele que busca atingir um dado fim, de longo alcance. E vem aí a ação propositada: os indivíduos agem quando vislumbram que